Síndrome de Peter Pan


Peter Pan é o principal personagem de uma história escrita pelo autor de peças de teatro e romancista escocês J. M. Barrie (James Matthew Barrie).


O autor diz ter sido muito feliz até os 7 anos de idade. Então, um de seus irmãos morreu e sua mãe ficou muito triste, entrando em depressão. Infeliz por ver sua mãe sofrer tanto, ele passou a vida inteira se lembrando do tempo em que era criança e tinha sido feliz.


A história infantil conta que quando era um bebê, Peter Pan caiu de uma carruagem e foi levado por fadas para a terra do nunca. Lá, Peter Pan é um menino que não tem obrigações ou deveres e vive só se divertindo. Ele se mostra muito corajoso, sem medo de nada e ninguém, mas não é bem assim.


Longe da terra do nunca vivia uma garota chamada Wendy, que contava histórias para seus dois irmãos na hora de dormir. Uma noite Peter Pan, que estava procurando sua sombra, acabou indo até lá e os convidou para conhecerem a terra do nunca.


Viveram muitas aventuras e passaram por muitos desafios, que enfrentaram com coragem. No fim, Wendy e seus irmãos voltam para casa e Peter Pan, o menino que queria ser sempre criança, voltou para a terra do nunca, devido a seus medos de assumir responsabilidades e compromissos do mundo real. Ele tinha medo de crescer.


Em 1983 o psicólogo Dr. Dan Kiley percebeu um fenômeno comum entre adultos e se dedicou a estudá-lo. Se tratava de pessoas que vivem normalmente em sociedade, mas são profundamente infelizes e angustiados.


Inspirado pelo conto, decidiu dar o nome de Síndrome de Peter Pan. São pessoas que estão insatisfeitas com tudo em suas vidas e não assumem a responsabilidade por seus atos. São indivíduos com comportamentos infantis e muito inseguros.


Muitas vezes a pessoa reconhece que tem atitudes infantis, mas se recusa a crescer (na maioria das vezes por medo). Vivem constantemente em uma realidade fantasiosa onde não é obrigatório amadurecer, o que leva ao fracasso nas relações sociais como trabalho, relacionamentos amorosos e familiares.


Os sintomas mais comuns são: necessidade de chamar atenção; se comportar como criança; irresponsabilidade; insegurança; pouca autoestima; muito críticas; não se esforçam; egoísmo; insatisfação; choro fácil.


Muitas outras doenças podem se desenvolver como uma consequência dessa síndrome, como ansiedade, depressão e problemas com a autoestima e autoconfiança.


Apesar de levar o nome de um conto de fadas, não é uma situação divertida, é muito sofrida e real e precisa de tratamento.

31 visualizações0 comentário

Posts recentes

Ver tudo